26 de novembro de 2016

A ratoeira

26 de novembro de 2016
  Um dia o dono de uma velha casa no campo resolveu comprar uma ratoeira. Armou e colocou a armadilha na sala, num canto escondido.
Um ratinho, que morava nesta casa, percebendo a armadilha, correu para pedir ajuda.
Chegou no cachorro e disse:
"Socorro, socorro. Uma ratoeira, uma ratoeira na casa!"
"Não tenho nada haver com isso. Sou grande demais para uma ratoeira." - Respondeu o cachorro.

Sem resultados ali, o ratinho correu para o pasto para pedir ajuda as vacas.
"Uma ratoeira em casa. Socorro senhoras vacas. Me ajudem."
"Não é problema nosso. Essa ratoeira não afeta agente." - Disseram as vacas.

Então o ratinho correu para o galinheiro.
"Socorro seu galo. Tem uma ratoeira em casa. Dona galinha, me ajude."
 "Não temos nada com isso ratinho. Quem mora lá é você e isso não afeta agente."

 Sem ajuda de ninguém, o ratinho volta triste para sua toca.
E no meio da noite, ouve-se um barulho. Era a ratoeira sendo desarmada, algum bicho caiu na armadilha. A dona da casa achando que era o rato, vai até a sala para retirar o corpo do bichinho.
Mas a noite estava escura e ela não conseguiu acender a luz.E tem uma surpresa quando põe a mão onde estava a ratoeira.
Não era o rato, era uma cobra. E a cobra morde a dona na mão, que imediatamente começa a passar muito mal.
Com o ocorrido, o dono da casa mata as galinhas, uma a uma, para fazer canja para sua esposa. Pois, canja é ótimo para recuperação.
Muitos parentes vão visitar a dona doente. Então o dono mata algumas vacas para alimentar a parentela que os estava visitando.
E o cachorro, coitado, foi esquecido preso em sua casinha. Já que o dono não tinha tempo de cuidar dele por causa do estado da dona.


Moral da história:
 Tudo que acontece com seu próximo vai te afetar. De um jeito ou de outro.
 Somos seres sociáveis e devemos nos ajudar. Todos nós precisamos de um ombro amigo às vezes. Hoje sou eu, amanhã é você. Uma mão lava a outra.
 Que sejamos mais cuidadosos e atenciosos com nossa família, amigos, parentes, colegas de serviço, etc. Um depende do outro.
  Não diminua ninguém. E não ache que é maior que alguém. Somos todos iguais.

Fica a dica! kk

Abraços!

Estudando em casa: Escalas Menores

Sabe como é uma escala menor?
Não?
Vamos lá!!
 Basicamente, existem 3 tipos de escalas menores: A escala menor natural, a escala menor harmônica, e a escala menor melódica.
Obs: Vou utilizar as escalas de C, Cm e Am como exemplos.

Menor Natural

Os intervalos que diferem a escala menor natural para a escala maior são a Terça, a Sexta e a Sétima. Que são maiores na escala maior e passam a ser menores na escala menor natural. 
Então teremos esta Fórmula:

Escala Maior
(1 2 3 4 5 6 7 1)
C D E F G A B C
 
Escala Menor Natural
(1 2 b3 4 5 b6 b7 1)
C D Eb F G Ab Bb C
A B C D E F G A

 A escala de Dó maior e a escala de Lá menor natural partilham as mesmas notas, então podemos dizer que a escala de Lá menor natural é a escala menor relativa de Dó maior. O que faz a diferença entre ter a escala de Dó maior e a escala de Lá menor natural é a tônica.

Menor Harmônica

 A escala menor harmônica é parecida com a escala menor natural. Com a terça menor, a sexta menor, porém com a sétima maior.
A sétima maior é a nota característica desta escala, pois é este intervalo que lhe dá uma sonoridade distinta. Se fizermos a comparação da escala menor harmônica com a escala maior, a única diferença está na terça e na sexta.
Teremos esta fórmula:

Escala Maior
(1 2 3 4 5 6 7 1)
C D E F G A B C
 
Escala Menor Harmônica
(1 2 b3 4 5 b6 7 1)
C D Eb F G Ab B C
A B C D E F G# A

Menor Melódica

 Esta escala é um pouco mais complexa que as anteriores, pois na teoria musical clássica esta escala tem a forma da escala menor melódica quando subimos na escala e a forma da escala menor natural quando descemos na escala. Esta ideia no entanto não é muito utilizada na música moderna. A escala menor melódica difere da escala menor natural nos graus 6 e 7. Na escala menor natural temos a sexta menor e a sétima menor, na escala menor melódica a sexta e a sétima são maiores. Em comparação à escala maior apenas diminuímos a terça, tendo assim uma terça menor.
Teremos esta fórmula:

Escala Maior
(1 2 3 4 5 6 7 1)
C D E F G A B C

Escala Menor Melódica
(1 2 b3 4 5 6 7 1)
C D Eb F G A B C
A B C D E F# G# A
 
Resumidamente, é isso tudo pessoal! Kk

Bom estudo a todos.
Abraços!

24 de novembro de 2016

Apresentando Games: Donkey Kong

24 de novembro de 2016
Conhece ou já jogou Donkey Kong?
Não?
Vou te falar um pouco desse maravilhoso game. Vamos lá!
História:



  Donkey Kong foi o primeiro exemplo de jogo estilo plataforma. Algumas vezes caracterizado como o primeiro jogo de plataforma da história, de fato é que foi o primeiro jogo de plataforma a utilizar o pulo como habilidade, introduzindo a necessidade de pular entre brechas, obstáculos e inimigos próximos. O jogo acabou servindo de gênero para os jogos de plataforma.
  Para vencer o jogo era necessário que o jogador chegasse até Pauline (que fora sequestrada por Donkey Kong) onde ganha pontos, os pontos também podem ser adquiridos de outras formas, como destruindo obstáculos ou até mesmo os pulando, a cada 10,000 pontos o jogador ganhava mais uma vida.



  Notas: A franquia é ótima. Jogos viciantes, um melhor que o outro.
  Os games em si, são basicamente:
  • Você pulando de galho em galho.
  • Amigos fantásticos e inseparáveis. 
  • Dirigir rinocerontes.
  • Nadar.
  • Pular de ilha em ilha.
  • Pilotar veículos.
  • Salvar as macaquinhas.
  • Salvar o mundo.
  • Cipó é um meio de transporte.
  • Casas nas árvores são legais.
  • Ratos são "du mal".
  • Jacarés e Crocodilos andam em duas patas e são "du mal".
  • Abelhas gigantes.
  • Barris explosivos.
  • E muito mais.... 

 
  Você vai amar esse maravilhoso game.
 Eu amei pelo menos.


Bom jogo a todos.
Jogue com moderação.

23 de novembro de 2016

Uma mãe. Um menino. Um milagre.

23 de novembro de 2016
Uma manhã como outra qualquer... será mesmo?

Já amanheceu!?
Essa luz nos meus olhos... Acho que vou levantar antes que minha mãe venha me acordar.
Fome... será que ela já levantou?
Humm... melhor ir ver...
 
"Mãeeeee... mãeeeee..."
Nada no quarto...
"Mãe...?"
Nada na sala...
 
Hummm... que cheiro é esse? Parece... parece pão...
Humm... que fome...
Vou ver a cozinha!
Olha ela ali cozinhando. E parece pão. Nossa, tem peixe também.

Mãe: "Filho... filho..." Menino: Mãe, bom dia! Já estou acordado.
Mãe: Filho, pega a cesta e guarde esses pães e os peixes nela. Vamos sair, e vamos precisar de mantimentos.
Menino: Tudo bem mamãe, vou guardar agora mesmo.

Nossa... que gostoso esse pão da mamãe.
Agora que já comi, vou guardar as coisas que ela pediu.
Mas para onde será que vamos?
...ei, que barulho é esse?
Vem lá de fora... uau... quanta gente...
O que será isso? E pra onde eles vão?
Quem será aquele homem que vai á frente dessa multidão? Será que mamãe sabe?

Mãe: vamos filho... Ele chegou!
Menino: Ele? Quem mamãe?
Mãe: venha filho e você verá.
Menino: vamos....

...nossa, que caminhada... já tem quase uma hora que estamos andando e só tem subida...!
Ufa... paramos... olha, aquele parado no meio desse povo todo não é o homem que ia na frente?
Vou chegar perto pra ouvir o que ele está falando...
...algumas horas depois...
 Nossa, que homem sábio... Ele fala tão bem... parece que estou até mais leve, só de ouvir Ele falar...
  E esses outros homens com Ele? O que será que estão perguntando pra Ele?
Hã? Eu ouvi alguma coisa sobre comida... será que Ele está com fome? Será que posso oferecer algo pra Ele? Será que mamãe se importaria?
  Os homens estão caçando comida... Vou falar com eles que eu tenho.
 Aquele moço me viu... está me chamando...
Por quê estão me levando para o líder deles?
  O que será que eles querem... será que querem a comida que mamãe e eu trouxemos?
Vou falar com Ele, e ver se é isso...


Menino: Moço, eu só tenho 5 pães e 2 peixinhos. 

 Mas se estiver com fome posso repartir com o senhor.
...o Homem pega a cesta do menino e começa a partir os pães e os peixes. Colocando os pedaços repartidos em cestos para distribuir para a multidão...
 Nossa... o que Ele está fazendo? Ele quer dar essa comida pra esse povo enorme aqui?
  Mas espere... como Ele está conseguindo encher outros cestos com o que eu dei?
Eram 5 pães e 2 peixes, e agora Ele está multiplicando tudo... o povo todo está comendo...
 Sobrou mais cestos... uau... de uma cestinha Ele conseguiu alimentar essa multidão toda e ainda sobrou esses 12 cestos de comida...

Menino: Mãe... Quem é Ele? Como Ele fez isso?
Mãe: Filho... esse é o Mestre dos mestres!



Referência ao texto bíblico de Mateus 14:15-21.

20 de novembro de 2016

Apresentando Instrumentos: Saxofone

20 de novembro de 2016
 Vocês conhecem o instrumento musical conhecido como Saxofone(ou simplesmente sax)?


  Saxofone, também conhecido como sax, é um instrumento de sopro patenteado em 1846 pelo belga Adolphe Sax, que viveu na França no século XIX. Os saxofones são instrumentos transpositores, ou seja, a nota escrita não é a mesma nota que ouvimos (som real ou nota de efeito). A maior parte dos saxofones são em Si♭ (como o sax tenor) ou em Mi♭ (como o sax alto e o barítono).
  O saxofone é um instrumento fabricado em metal, geralmente latão, com chaves, numa mecânica semelhante à do clarinete e à da flauta. É composto basicamente por um tubo cônico, com cerca de 26 orifícios que têm as aberturas controladas por cerca de 23 chaves vedadas com sapatilhas feitas de couro e uma boquilha que pode ser de metal ou de resina, na qual se acopla uma palheta de bambu ou de material sintético.

A família do saxofone

  A família do saxofone é extensa. Todos os membros compartilham a mesma digitação e a escrita é sempre em clave de sol, variando a transposição de acordo com o registro do instrumento. Dentre os sete instrumentos originalmente produzidos, há:
  • Saxofone sopranino - É o membro mais agudo da família dos saxofones. É afinado em E♭ ou, raramente, em F. Seu corpo é reto.
  • Saxofone soprano - É o integrante mais agudo do quarteto de saxofones clássico. Afinado em B♭. Há também sopranos afinados em C, mas são muito raros. O tradicional é o de corpo reto, mas há também sopranos curvos. Alguns possuem uma chave a mais para o alcance do A mais agudo.
  • Saxofone alto - Um dos tipos mais comuns de saxofone. De registro médio-agudo, tem a tessitura próxima à da viola. É afinado em E♭.
  • Saxofone tenor - Também é um instrumento muito comum. Tem registro médio-grave. Afinado em B♭. Há também os afinados em C.
  • Saxofone barítono - É o integrante mais grave do quarteto de saxofones clássico. Afinado em E♭. É comum encontrar barítonos com uma nota a mais para o grave (A grave, que soa C), recurso raramente encontrado em saxofones mais agudos.
  • Saxofone baixo - Muito utilizado em bandas sinfônicas e em grandes conjuntos de saxofones. É afinado em B♭. Também pode contar com recurso do A grave (que soa G).
  • Saxofone contrabaixo - É o segundo membro mais grave da família original do saxofone. É afinado em E♭.
O projeto de Adolphe Sax previa um instrumento ainda mais grave que o saxofone contrabaixo, o subcontrabaixo entretanto, esse instrumento não chegou a ser produzido. No entanto, em setembro de 2012 a Benedikt Eppelsheim, de Munique, fez o primeiro saxofone subcontrabaixo em tamanho originalmente proposto com 2 metros e 25 centímetros de altura. Em julho de 2013 a companhia brasileira J'Elle Stainer, que já havia tentado a montagem de um em 2010, todavia, este era compacto, construiu um com 2 metros e 80 centímetros. O subcontrabaixo faz agora, parte da família de Banda militar dos saxofones.
Além desses, há outros instrumentos, desenvolvidos posteriormente:
  • Saxofone Sopraníssimo ou "soprillo", instrumento em Si♭, uma oitava acima do saxofone soprano, sendo assim, o mais agudo já fabricado.
  • Soprano em C (não transpositor). Faz parte da família orquestral.
  • Soprano semi-curvo (reto, com todel curvo e campânula virada para a frente, comumente conhecido como saxello)
  • Saxofone Mezzo-soprano, também conhecido como Alto em fá . Faz parte da família orquestral
  • Saxofone C melody (transpositor à oitava), também conhecido como Tenor em dó. Faz parte da família orquestral.
  • Barítono em F.
  • Saxofone Contralto.
  • Baixo em C (transpositor à 15ª).
  • Contrabaixo, em F.
  • Tubax - Instrumento alemão desenvolvido a partir do saxofone, mas com calibre mais fino, o que facilita a emissão dos graves. Há versões em E♭ (mesma extensão do saxofone contrabaixo) e em Si♭ (chamado de subcontrabaixo).

Fontes:  
National Music Museum
http://nmmusd.org/

Wikipédia, a enciclopédia livre
https://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:P%C3%A1gina_principal

Notas:
 Saxofones são instrumentos lindos, tanto no designer quanto no som. O som do Sax é bem agradável a todos.
  É uma ótima escolha para quem quer engrenar no universo da música.




Confira o som deste belíssimo instrumento:
https://www.youtube.com/watch?v=6vqKJK-F5pk
Abraços!